A menina e a floresta encantada | Pâmela da Silva ~ Identidade 85 ::

segunda-feira, maio 11, 2020

A menina e a floresta encantada | Pâmela da Silva




Nossa história começa com uma lenda, de uma floresta encantada e de uma menina que havia desaparecido do nada. Mas falaremos disso depois, primeiro lhes contarei o começo dessa história... 

Começaremos com uma menina chamada Bia, em um dia comum e normal. Mas mal sabia a menina que isso iria mudar graças a um sonho que ela havia tido que iria mudar sua vida para sempre. O que ela não imaginava é que isso iria um dia acontecer de verdade. Ela se arrumou para ir para escola. Até aí parece um dia comum e normal, mas ao chegar à escola ela foi informada de que haveria um passeio. Até aí parecia tudo comum e normal... A menina entrou no ônibus e foram para o passeio. O trajeto foi como sempre havia sido uma festa, com os alunos cantando até chegar lá. 

Já no local de destino, todos desceram do ônibus. Até aí tudo parecia comum e normal. Mas a menina decidiu não ir para o mesmo caminho de seus colegas... Seguiu pra outro rumo, pra caminhar. De repente ela viu uma luz branca, e decidiu seguir. Essa luz a levaria até uma floresta encantada. Mas ela não sabia, nem mesmo acreditava. O certo é que essa experiência transformaria a sua vida para sempre. Nada mais seria como era antes, pois a partir daquele momento a menina ganharia poderes mágicos. Nada mais poderia mudar isso, e nunca mais a menina seria o que sempre fora. 

Ao fim do passeio, a professora chamou todos de volta para o ônibus, mas quando foi conferir, ela sentiu falta de uma menina. Disse então: “não podemos ir, pois é menina Bia, desapareceu”. Ainda assim, ela disse aos alunos: “todos vamos, seus familiares devem estar preocupado. O Seu Josias, o zelador da escola fica com alguns para procurá-la e depois voltamos para ajudar”. Mas mal sabia ela que a minha poderia voltar sozinha, porque havia se transformado em uma fada. 

Todos, menos o Seu Josias e seus ajudantes, foram até o ônibus, entraram e voltaram para escola. Chegando lá encontraram a menina sentada em seu lugar! Logo lhe perguntaram: “como você chegou aqui tão rápido? Você não estava lá com a gente!?”. “Sim”, respondeu a menina, “mas decidi desviar o caminho e encontrei uma floresta mágica, que me transformou em uma fada”. Os amigos riram dela, dizendo “duvidamos!”. Octavio, o mais astuto da turma, daqueles que fazem bullying com os colegas, logo fez piadinhas sobre ela. 

“É sério”, disse a menina, “a partir de agora, sou uma fada mágica”. 

Os amigos dela então disseram: “isso é só uma lenda”, outros ainda disseram “você está louca!?”. “Não”, ela logo respondeu, “sou uma fada encantada mesmo e vim levá-los para conhecer o meu novo mundo. Vamos lá! Mas decidam logo, porque o portal vai fechar e tenho que partir”. Um dos amigos dela, ainda sem acreditar, perguntou: “e a sua família?”. “Não se preocupe, eu voltarei para visitá-los sempre que eu quiser”, respondeu. Muitos se empolgaram. Até Octavio se animou. Responderam com entusiasmo: “então está bem, vamos lá, para vivermos uma aventura mágica”. Antes de sair, ela fez questão de tranquilizá-los: “vocês poderão voltar quando quiserem, pois têm autorização minha. Eu me tornei a guardiã desse mundo mágico”. 

Mas, o mais incrível é que apenas os colegas da menina Bia sabiam disso. Muitos foram com ela, viveram momentos incríveis, quase não conseguindo perceber a passagem do tempo. Aliás, por lá o tempo era diferente, não havia relógios, pois não era necessário. Quando todos entraram no portal, o tempo do mundo deles parou de contar. Eram 4:30 da tarde, quase hora de bater o sinal pra irem embora. No lugar encantado se divertiram, fizeram coisas que no mundo real jamais conseguiriam por sua condição social e também porque o mundo é muito sério! Se contarmos em nosso tempo, diríamos que eles ficaram por lá por muitos dias, mas como eu disse o tempo que no mundo real tem pressa e vale dinheiro, por lá não se conta. 

Um dos meninos que a acompanhou, o Julinho, começou a sentir falta de casa; logo os outros também sentiram falta de seus parentes. Até que Thiago disse aos outros: “pessoal, está na hora voltarmos”. Como prometeu a menina, eles puderam voltar quando quiseram, na verdade quando a saudade bateu. Mostrando o caminho, disse ela então: “vamos pelo arco-íris”. Quando atravessaram o portal que fica no fim do vale mais belo, todos sorriram uns para os outros. Estavam novamente na escola, a tempo de arrumarem seus materiais e irem para casa. Todos voltaram para as suas vidas, mas muito diferentes do que haviam partido para o lugar encantado, e a história, que só eles conheciam, virou para todos que ouviam daí em diante uma lenda, que passou a ser sempre contada. 

Assim, a magia continuou viva em todas as gerações, mesmo que aqueles poucos meninos fossem os que realmente soubessem a verdadeira história. Bia continuou morando no lugar encantado, onde as coisas eram mais fáceis e felizes pra ela – sem deixar de visitar seus familiares sempre que sentia saudades! 

Acreditem vocês ou não foi assim que aconteceu e a vida seguiu no mundo encantado..


* Pâmela é minha sobrinha (de José) e esse poema faz parte de um projeto inicial dela no Facebook, então se puderem apoiar entrando no grupo, ela ficaria muito feliz: http://bit.ly/pamelapoemas




 livro meu pé de laranja lima
José Mauro de Vasconcelos
Clique aqui! 

Compartilhar:

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Digite e tecle Enter para buscar!