Identidade 85 ::

Acredite nos seus sonhos...

por Conceição A. Pereira | Terças Poéticas

Eu queria ser

por Conceição A. Pereira | Terças Poéticas

Na terra dos meus sonhos

por Conceição A. Pereira | Terças Poéticas

Cantigas medievais - Nova!

Vós que soedes em corte morar

Um lugar especial...

por Conceição A. Pereira | Terças Poéticas

FGV lança Exposição virtual

''Getúlio Vargas e a Propaganda Política''

terça-feira, novembro 20, 2018

VÍDEO: O que é escravidão? | da Antiguidade aos dias atuais [Jose A Fernandes]




Nesse vídeo procuro mostrar como a escravidão mudou ao longo dos séculos, desde que existe seres humanos na terra até as formas atuais de escravidão. 

Dou atenção especial para a escravidão negra no Brasil e nas Américas, procurando mostrar como se desenvolveram com o passar do tempo as ideias racistas e racialistas, que procuravam justificar a sujeição de alguns grupos classificados arbitrariamente como "inferiores" por outros que se auto-classificavam "superiores".

Caso esteja recebendo esse post por e-mail, clique aqui para assistir.


Dica do blog:
 livro a enxada e a lanca
de Alberto da Costa e Silva
Clique aqui!

* Postado originalmente em 8/jul/2018.

Compartilhar:

Acredite nos seus sonhos... | por Conceição A. Pereira | Terças Poéticas



Agora...
quero falar com você 
que abriu esse livro por acaso...

Você acredita em seus sonhos?
Luta para que eles virem realidade?
Aliás, você tem tirado tempo para sonhar?

Preciso que saiba de algumas coisas,
que aprendi com a vida...
Os sonhos são molas que nos jogam para cima,
lá bem perto do Criador...

Eles nos fazem melhores...
Nos impulsionam a viver cada dia com mais intensidade...
São os sonhos que nos diferenciam...
A possibilidade de realizá-los nos projeta
para o Universo...

Se você está chateado,
brigou com alguém,
discutiu com aquele melhor amigo,
foi incompreensível com sua esposa ou esposo...
quero que tenha certeza disso:
não importa sua condição social, muito menos
quantos pares de sapatos tenha em casa,
tudo o que você sonha de mais bonito,
verdadeiro,
sincero,
confortável,
divino...
pode se realizar...

Vá em busca de sua vida...
lute com mais fervor,
acredite nos seus sonhos...


Conceição Aparecida Pereira é professora de Língua Portuguesa e Literatura, formada em Letras pela UNIJUÍ, mestre em Educação e Cultura pela UDESC, membro da ALBSC - Seccional Barra Velha, poeta, cronista, contista, mas antes de tudo uma recolhedora das suas próprias histórias de vida, arte e amor.

Este poema compõe o livro Depois daquela noite...

Compartilhar:

segunda-feira, novembro 19, 2018

LANÇAMENTO! Guerras Europeias, Revoluções Americanas, de Marcelo Raffaelli



Foi lançado nesse dia 18 de novembro o livro Guerras Europeias, Revoluções Americanas, de Marcelo Raffaelli.

💬 O que o livro conta?

Nesta primorosa pesquisa histórica, Marcelo Raffaelli oferece um retrato original da independência do Brasil e das demais colônias ibéricas ao se debruçar sobre a influência mútua entre estas e as revoluções europeias e norte-americanas da virada do século XVIII para o XIX. Os arroubos da Revolução Francesa em 1789 transmitem ao resto do continente a certeza de ser o palco de mudanças dramáticas. Os desdobramentos de tais eventos, que para Raffaelli se estendem num fio contínuo até 1828, permitiriam à maioria das colônias espanholas nas Américas alcançar a independência e ao Brasil passar de colônia a reino para, em seguida, por fim separar-se de Portugal. 

Esmiuçando os elos dessa cadeia de modo a um só tempo erudito e acessível, o autor combina um grande volume de leitura à dimensão prática das relações internacionais. Diplomata de carreira, ele não se limita à interpretação usual de que os fatos do hemisfério norte ditam o destino do sul, mas vai além e mostra que, se o caminho das colônias ibéricas para a independência sofreu influências de rivalidades e interesses que ditavam as políticas das potências europeias e dos Estados Unidos, por outro lado ele também as influenciou.


Marcelo Raffaelli nasceu no Rio de Janeiro em 1929. Exerceu a carreira diplomática, tendo servido em diversas cidades, entre elas Washington, onde vive hoje. Entre outros, é autor de A Monarquia e a República: aspectos das relações entre Brasil e Estados Unidos durante o Império (Fundação Alexandre de Gusmão, 2006).

🔎 Onde adquirir?

Amazon (R$ 46,40): amzn.to/2PvZnRk

Submarino (R$ 72,99): acesse.vc/v2/322ddb59a34

 livro guerras europeias
Clique aqui!

Compartilhar: 

terça-feira, novembro 13, 2018

Eu queria ser | por Conceição A. Pereira | Terças Poéticas



Eu queria ser...
cristalina como a água,
linda como a lua, 
simples como a noite, 
magnífica como as estrelas, 
útil como as pedras, 
que em um gesto de doação total, 
proporcionam abrigo à água,
ser como o dia...

Eu queria ser...
a paz que tanto se anseia, 
o sorriso sempre verdadeiro, 
o amor leal eternamente, 
o sol que sempre nos ama...




Conceição Aparecida Pereira é professora de Língua Portuguesa e Literatura, formada em Letras pela UNIJUÍ, mestre em Educação e Cultura pela UDESC, membro da ALBSC - Seccional Barra Velha, poeta, cronista, contista, mas antes de tudo uma recolhedora das suas próprias histórias de vida, arte e amor.

Este poema compõe o livro Depois daquela noite...

Compartilhar:

segunda-feira, novembro 12, 2018

LANÇAMENTO! Saiu o 5º volume, inédito, da série "O Brasil Republicano", de Jorge Ferreira!


Acaba de sair volume inédito da série "O Brasil Republicano", compilação de Jorge Ferreira: desta vez o volume 5 aborda O tempo da Nova República – Da transição democrática à crise política de 2016.

💬 O que o livro conta?

A importante coleção O Brasil Republicano retorna às livrarias com volume inédito. Nas primeiras décadas do século XXI, temas como democracia, cidadania e República surgem, em diferentes interpretações, como dilema e desafio que a sociedade brasileira enfrenta no cotidiano. 

Partilhando dessas preocupações, planejamos e organizamos a coleção O Brasil Republicano, em cinco volumes: O tempo do liberalismo oligárquico (edição revista), O tempo do nacional-estatismo (edição revista), O tempo da experiência democrática (edição revista), O tempo do regime autoritário (edição revista) e O tempo da Nova República. 

Este quinto volume da coleção reúne 13 capítulos e compreende o período democrático iniciado em 1985 e encerrado em 2016, com a crise política que destituiu Dilma Rousseff da Presidência da República. O ano de 1985 inicia-se com o falecimento do presidente eleito, Tancredo Neves, o que levou o vice, José Sarney, à Presidência da República, em um governo marcado por práticas políticas tradicionais e descontrole da economia. A primeira eleição direta após o período autoritário levou à Presidência Fernando Collor de Mello, afastado após um processo de impeachment. Seu vice, Itamar Franco, implantou programa de estabilização econômica: o Plano Real. Fernando Henrique Cardoso, por dois mandatos, colocou o Brasil na rota do neoliberalismo. O Partido dos Trabalhadores ascendeu ao poder, com dois mandatos de Luiz Inácio Lula da Silva e outros dois de Dilma Rousseff. Contudo, o último mandato foi interrompido por um processo de impeachment – também definido como golpe de Estado. Em meio a isso, a ebulição e criatividade da produção cultural e artística da época, com o Rock Brasil, a literatura, o cinema e as artes plásticas. 

O volume reúne textos de: Adelaide Gonçalves, Alessandra Carvalho, Américo Freire, Angélica Müller, Brasilio Sallum Jr., Cláudia Viscardi, Estevão de Rezende Martins, Fernando Perlatto, Francine Iegelski, Jorge Ferreira, José Ricardo Ramalho, Luiz Carlos Delorme Prado, Luiz Sérgio de Oliveira, Maria Antonieta p. Leopoldi, Maria Fernanda Garbero, Mario Luis Grangeia, Marly Motta, Rafael de Luna Freire, Rodrigo Patto Sá Motta.


O organizador, como já dissemos é Jorge Ferreira, Professor Titular da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Abaixo contracapa do livro:

🔎 Onde adquirir: amzn.to/2DAEhej


Clique aqui!

Compartilhar: 

domingo, novembro 11, 2018

Especial Primeira Guerra Mundial - 100 anos!




Começamos a partir dessa postagem um especial para falar sobre a Primeira Guerra Mundialum dos eventos (senão o evento) que mais marcaram a história do século XX, que levou Eric Hobsbawm a chamá-lo de a Era das Extremos

Ela foi chamada de Grande, mas ainda com toda sua grandeza não recebeu os mesmos "louros", a mesma quantidade de filmes e os mesmo número de monumentos memoriais que a sua sucessora, chamada de Segunda por sua causa. Apesar disso, motivados pelas proximidades de seu centésimo aniversário, alguns livros e produções cinematográficas vem surgindo, alimentando a imaginação histórica dos que gostam de saber sobre as Grandes Guerras do século próximo passado, como é o caso, por exemplo, dos filmes recentes Cavalo de Guerra e O Barão Vermelho.


 dvd barão vermelho
Capa do filme O Barão Vermelho (2008)

A Primeira Guerra Mundial completa seus 100 anos no dia 28 de junho, data marco de seu início, quando ocorreu o assassinato de Francisco Ferdinando, o Arquiduque da Áustria e até então herdeiro do trono do Império Austro-Húngaro, em Sarajevo, Bósnia.

Sua morte foi uma "desculpa" para o início das hostilidades, tendo entre os mais importantes motivos as tendências imperialistas das grandes potências europeias, com suas indústrias desenvolvidas e sedentas por manter os seus recantos imperiais (na África e Ásia, sobretudo) e ainda por expandi-los, se possível. Às colônias cabia a função de compradoras das mercadorias europeias, sejam quais fossem elas, e fornecedoras de matérias primas, além das outras riquezas minerais. 

Soma-se às tendências imperialistas propriamente, a exacerbação dos nacionalismos europeus, usados para promover a adesão de suas populações à causa da guerra. Temos  nesse contexto o nacionalismo das populações que se encontravam dominadas pelo Império Austro-Húngaro ou pelo Império Russo, que ansiavam por suas independências (como é o caso da Bósnia em relação à Áustria-Hungria, local estopim dos primeiros conflitos). 

No conflito se alinharam países que eram inimigos clássicos, como Inglaterra e França. Na divisão das potências tivemos: a Tríplice Aliança, entre Alemanha, Áustria-Hungria e Itália, que muda de lado em 1915; e a Tríplice Entente, entre as citadas Inglaterra e França, mais o então Império Russo, do Czar Nicolau II, que sai em 1917 do conflito para fazer sua Revolução de Outubro, mais os Estados Unidos que entraria na Guerra só em 1917.



Pôster anuncia o filme Under Four Flags (Sob quatro bandeiras), que foi feito pela Divisão de Filmes do Comitê de Informações Públicas, um órgão do governo estabelecido nos Estados Unidos, mostrando a união entre Estados Unidos, França, Grã-Bretanha e Itália.

Ela começou com as potências envolvidas não imaginando conflitos tão longos e abrangentes. E no final, deixará uma triste marca na história da humanidade, com um saldo assustador de aproximadamente 9 milhões de soldados mortos e 20 milhões de feridos. Mas também a Grande Guerra abriu espaço para novas experiências, com a esperança lançada pelo Comunismo Russo - que se deu certo ou não, já é outra discussão. 



"A única estrada para os ingleses", cartaz inglês para o alistamento de soldados.

Bom, mas essas e outras informações vocês poderão acompanhar nos próximos fins de semana, onde teremos postagens especiais, terminando enfim no dia 28 de junho, data marco do início de tudo.

Sugestão de livro:

David Stevenson 
 Clique aqui para comprar!


* Imagem do topo: '''Description''': Trincheiras na Flandres na Primeira guerra mundial em La Lys, em 1918. 

** Com exceção da capa do filme O Barão Vermelho, as demais imagens foram extraídas do site www.wdl.org.

*** Originalmente postado em 31/maio/2014.

Compartilhar:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Humanos

Digite e tecle Enter para buscar!