Historiadores em Perfil: Paul Veyne ~ Identidade 85 ::

sábado, maio 23, 2020

Historiadores em Perfil: Paul Veyne




Ele é ao mesmo tempo historiador e arqueólogo, estudioso do universo cultural, com dedicação especial aos temas que envolvem Grécia e Roma Antigas!

Paul Marie Veyne nasceu em Aix-en-Provence, França, no dia 13 de junho de 1930. Desde os oito anos já se interessava por arqueologia, mais especialmente do Império Romano, depois de encontrar uma ânfora em um sítio celta e visitar museus da área. À arqueologia somou-se "naturalmente" a História e à história de Roma Antiga se somou a da Grécia. 

Mas, algo interessante é que, ainda nos tempos de estudos, quando foi morar em Paris para fazer a Escola Normal Superior (1951 a 1955), ele aderiu ao Partido Comunista Francês. No entanto, essa ligação não duraria, abandonando ele esse partido alguns anos depois.



Após terminar a Escola Normal Superior, entre os anos de 1955 a 1957, ele foi membro da Escola Francesa de Roma. Chegou a lecionar na Sorbonne e logo em seguida transferiu-se para Aix-en-Provence, onde passou a lecionar na Universidade da Provença, onde ficou até 1975, ano em que se transferiu para o Collège de France, onde foi titular da cadeira de História Romana até 1998. 

Mas, foi durante o período em que esteve na Universidade de Provença, mais exatamente no ano de 1970, que ele se tornou famoso ao lançar o livro Como Se Escreve a História? 

Nesse livro denso, um ensaio de epistemologia que dialoga com a área de teoria e historiografia francesa, ele se contrapõe à tendência à quantificação que predominava no cenário historiográfico francês até os anos 1970. Nesse livro que ele diz que a História não passa de um "conto verdadeiro" e o objeto de estudo do historiador um recorte pessoal, sendo, portanto, muito difícil enquadrar a História como ciência. Para Paul Veyne, a História lida com o caos, é uma forma de estudar a singularidade do fato, entendido como algo que não se repete. 

Foi com esse livro que Paul Veyne surgiu como um dos predecessores do modelo narrativista de reflexão sobre a ciência histórica, modelo esse que se afirmaria sobretudo depois da publicação de Meta-história, de Hayden White, em 1973. O que Paul Veyne faz nesse livro, entre outras coisas, é se direcionar aos historiadores que se dedicavam à análise quantitativa, aqueles "deterministas" e "economicistas". É assim que deixa explicitar-se nele o seu "antimarxismo", fazendo críticas sobretudo aos "marxistas ortodoxos" e o fato desses trabalharem com a análise quantitativa e se esquecerem do universo da cultura.



Nesse sentido, é interessante que muitas de suas ideias sejam semelhantes às de E.P. Thompson. Esse último não era ortodoxo, mas era marxista. Ainda assim, como diz a professora Ana Alaniz, "é interessante como eles se assemelham na hora de recortar os objetos de estudos; como eles se assemelham na hora de recortar o fato; como é que se constrói o fato; qual é a importância da historicidade"

E se me permitem insistir no mesmo livro, há até mesmo espaço para uma parte que recebeu o título de Foucault Revoluciona a História. Foucault é um dos grandes intelectuais franceses que atuaram nos anos 1960 e 1970, que deixou uma produção vasta e rica, com o qual Paul Veyne tinha grande amizade e afinidade de pensamentos. Não é menos interessante que, em 2008, o mesmo Michel Foucault ganharia um livro só para ele de autoria do mesmo Paul Veyne, onde se tratou de "seu pensamento e de sua pessoa". Esse livro é o resultado do convívio com o filósofo, o que configura uma originalidade e riqueza únicas, tendo Paul Veyne procurado expor com rigor os diferentes conceitos foucaultianos – episteme, dispositivo, discurso, saber e poder –, pois os descreve como um leitor que pôde metabolizar devidamente tudo aquilo que Foucault deixou como herança em seus livros, ensaios, conferências, cursos e entrevistas.



Em geral, com Paul Veyne, assim como outros que fizeram parte ou "beberam" da Nova História, o elemento cultural entra como componente principal para compreensão das sociedades e não apenas o econômico, o social ou o político. Esse mesmo cultural - assim como o cotidiano, as mentalidades e as jornadas de longa duração - está presente em seus textos sobre Grécia e Roma Antigas. É assim com os seus mais famosos, tais como, por exemplo: O Pão e o Circo, talvez o mais importante deles, em que procura questionar certo discurso historiográfico monolítico e propõe e explora novas possibilidades interpretativas para a política e a economia na Antiguidade greco-romana; o livro  Os Gregos Acreditavam em Seus Mitos?, em que questiona o que seria um "mito" e o que seria a "verdade", procurando mostrar que o sentimento da verdade é muito amplo (abrangendo facilmente o mito), que “verdade quer dizer muitas coisas" e que pode até abranger a literatura de ficção; ainda tem o livro Elegia Erótica RomanaSexo e Poder em Roma, onde ele recria Catulo, Propércio, Tibulo, Ovídio, goliardos da Antiguidade clássica, estabelecendo o vínculo crítico em que o amor e a poesia produzem uma estilização da vida cotidiana e a revestem de brilho e intensidade; e, afinal, há ainda a sua parte na coleção História da Vida Privada, no volume 1, que cobre um período de cerca de oito séculos - do declínio do Império Romano à Alta Idade Média ocidental e à Bizâncio dos séculos X e XI -, reunindo ensaios que examinam a vida cotidiana de cidadãos e escravos, senhores e servos - sua sexualidade, o casamento, a família, as diversas formas de moradia, as atitudes religiosas e as práticas funerárias -, compondo um quadro dos comportamentos individuais e sociais no período abordado.



Bom, por enquanto é isso. Caso queira saber mais sobre ele, existem palestras e mesmo entrevistas (essas em francês). Existe também a opção em livros, como o Nova História, organizado por Fernando Novais e Rogério Forastieri da Silva, que insere Paul Veyne no universo dos Annales. Outros livros do mesmo tipo, de "inserir o autor no contexto", são o As Escolas Históricas, de Guy Bourdé e Hervé Martin, e o A Escola dos Annales, de Peter Burke. Especificamente sobre ele e seu modo de fazer história, existe o livro Enredos de Clio: Pensar e Escrever a História com Paul Veyne, de Helio Rebello Cardoso Jr.. Além, claro, dos livros do próprio autor, cuja lista segue abaixo.

Os livros desse historiador:


Le Pain et le Cirque (1976) - edição em português com o título Pão e o Circo

L'Inventaire des Différences (1976) - edição em português com o título O Inventário da Diferença / outra edição em espanhol Lo Inventario de las Diferencias

Les Grecs Ont-ils Cru à Leurs Mythes? (1983) - edição em português com o título Os Gregos Acreditavam em Seus Mitos?

L'Élégie Érotique Romaine (1983) - edição em português com o título Elegia Erótica Romana

Histoire de la Vie Privée, vol. I (1987) - edição em português com o título História da Vida Privada, v.1

René Char en Ses Poèmes (1990)

La Société Romaine (1991)

Sénèque, Entretiens, Lettres à Lucilius (1993) - edição em português com o título Sêneca e o Estoicismo

Le Quotidien et l'Intéressant (1995, conversas com Catherine Darbo-Peschanski)

Les Mystères du Gynécée (1998, em colaboração com F. Frontisi-Ducroux e F. Lissarrague)

Sexe et Pouvoir à Rome (2005) - edição em português com o título Sexo e Poder em Roma

L'Empire Gréco-Romain (2005) - edição em português com o título O Império Greco-Romano / edição em espanhol Imperio Grecorromano

Quand Notre Monde Est Devenu Chrétien (2007) - edição em português com o título Quando Nosso Mundo se Tornou Cristão

Foucault: Sa Pensée, Sa Personne (2008) - edição em português com o título Foucault: Seu Pensamento, Sua pessoa

Palmyra / edição em espanhol Palmira




Livro destaque desse autor:
 livro pão e circo
Pão e Circo
Clique aqui!


Para ver outros Historiadores em Perfilclique aqui!

* Essa postagem é só um guia rápido desse historiador. Se você souber de alguma incorreção ou tiver algum acréscimo de conteúdo a essa postagem, mande-nos nos comentários. Muito obrigado!


Assista ao nosso vídeo sobre escravidão!

Se estiver recebendo a mensagem pelo e-mail, clique aqui para assistir

Compartilhar: 

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Humanos

Digite e tecle Enter para buscar!